Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
A Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) pediu mais detalhes ao grupo de trabalho da agência que realizou estudo sobre o artigo 5º da resolução normativa 1/2015, que trata do afretamento de embarcações estrangeiras em navegação de cabotagem que dependem de autorização da Antaq nos portos brasileiros. Em reunião de diretoria colegiada no dia 16, o relator do processo, Francisval Mendes, pediu mais esclarecimentos nos seguintes pontos: – a limitação de tonelagem causa ou tem potencial de causar concentração de mercado na cabotagem de hidrocarbonetos e biocombustíveis? – o aumento da participação da frota nacional, na correlação de todas as cargas transportadas por cabotagem, gerou maiores investimentos na indústria naval do país? – o grupo de trabalho avalia que a defesa da frota nacional necessita ter mais proteção normativa do que já contida na lei? – existe modelo aplicável dentro do universo de competência da Antaq que possa evitar as…
A Porto Sudeste alegou à Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que a compra da Ferrous Resources Limited pela Vale vai levar a um domínio superior a 80% do mercado de minério de ferro no país. A companhia apresentou dados da Agência Nacional de Mineração (ANM) apontando que a Vale foi responsável por 79,17% da produção no Brasil, em 2017, com 366,5 milhões de toneladas. Em 2018, esse volume subiu para 384,6 milhões de toneladas, superando os 80%. A concorrente alegou ainda a produção da Vale iria ultrapassar 400 milhões neste ano. Mas esse cenário mudou a partir de janeiro, com o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). O desastre afetou essa meta, com a interrupção de várias minas. A nova projeção é de 307 milhões a 332 milhões de toneladas neste ano. A Vale argumentou que a maior parte dos produtos neste setor,…
A Porto Sudeste alegou à Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que a compra da Ferrous Resources Limited pela Vale vai levar a um domínio superior a 80% do mercado de minério de ferro no país. A companhia apresentou dados da Agência Nacional de Mineração (ANM) apontando que a Vale foi responsável por 79,17% da produção no Brasil, em 2017, com 366,5 milhões de toneladas. Em 2018, esse volume subiu para 384,6 milhões de toneladas, superando os 80%. A concorrente alegou ainda a produção da Vale iria ultrapassar 400 milhões neste ano. Mas esse cenário mudou a partir de janeiro, com o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). O desastre afetou essa meta, com a interrupção de várias minas. A nova projeção é de 307 milhões a 332 milhões de toneladas neste ano. A Vale argumentou que a maior parte dos produtos neste setor,…
A Wilson Sons Estaleiros, empresa de construção naval do Grupo Wilson Sons, realizou a docagem da backhoe dredger (draga) Simson, com 68 metros de comprimento e 23 metros de boca. A embarcação pertence à empresa holandesa Van Oord, uma das maiores operadoras de dragas do mundo, há 150 anos no mercado. A draga Simson foi construída na Holanda em 2009 e opera no Porto de Santos. A docagem incluiu reparos estruturais e melhorias do box-cooler (sistema de arrefecimento de água). A operação, realizada no Guarujá (SP), ocorreu durante todo o mês de abril. Esse foi o primeiro trabalho que a Wilson Sons Estaleiros realiza para a Van Oord. O diretor executivo da Wilson Sons Estaleiros, Adalberto Souza, conta que foram fatores decisivos na decisão da Van Oord a localização do Estaleiro, infraestrutura e sua excelente performance em segurança. “Outros contratos estão em fase avançada de negociação. A Wilson Sons Estaleiros…
A bacia de evolução dos portos de Itajaí e Navegantes ficou pronta sem entregar a largura e profundidade esperada pelos administradores, o que permitiria a entrada de navios maiores. Por isso, só no Porto de Navegantes, 20 navios tiveram que ser redirecionados neste ano, com um prejuízo de cerca de R$ 24 milhões para a economia local. A expectativa era receber navios com 336 metros de largura, como os ocorre nos maiores portos do país. Desde julho de 2016 os portos esperavam a conclusão das obras, que foram concluídas quase 3 anos depois. O contrato daquela época previa um volume de material a ser retirado do fundo do rio na obra. Quando esse volume foi atingido, a empresa considerou os trabalhos encerrados. No entanto, a quantidade de detritos aumentou ao longo dos anos e prejudicou o tamanho final da bacia. Para o governo do estado, não há nenhuma irregularidade no…
A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) registrou, no 1º trimestre de 2019, uma movimentação de 13.949.128 toneladas, o que corresponde a um aumento de 2,8% em comparação ao mesmo período de 2018. Os dados foram analisados e divulgados pela Gerência de Inteligência de Mercado e Estatística da empresa. Esse crescimento é influenciado pelos granéis sólidos, responsáveis por 84,4% da movimentação total, com destaque para ferro gusa e trigo, operados no Porto do Rio de Janeiro; e minério de ferro e carvão, operados no Porto de Itaguaí. Porto do Rio de Janeiro Com uma movimentação total de 1.674.980 toneladas, o Porto do Rio de Janeiro atingiu um crescimento de 2,4% em relação ao 1º trimestre do ano passado. O aumento deve-se à carga conteinerizada e granéis sólidos, que representam 58% e 26%, respectivamente, da movimentação total do porto, em toneladas. A movimentação de contêineres no Porto do Rio cresceu…
A revisão da Resolução nº 18/2017 da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) foi tema de reunião entre o órgão e entidades que representam empresas do setor na última segunda-feira (6). A norma, além de estabelecer infrações administrativas, dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários, dos agentes intermediários e das empresas que operam as navegações de apoio marítimo e portuário, como a cabotagem (navegação entre portos marítimos do mesmo país) e a de longo curso (navegação entre portos nacionais e internacionais). Entre os participantes da reunião, estavam representantes do Centro Nacional de Navegação Transatlântica (Centronave), da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP), da Associação Brasileira dos Terminais de Contêineres de Uso Público (Abratec), do Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma) e da Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem (Abac). Após analisar as contribuições dos usuários ao tema, o diretor da Antaq Adalberto Tokarski irá submeter seu voto…
Graças à atuação de um pool de empresas do Leste Fluminense, em parceria com a Firjan e com o Instituto Senai de Tecnologia (IST) Ambiental, o Ibama liberou as operações do Porto do Forno, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos fluminense, em 27/4. Após análise e vistoria, o órgão ambiental considerou que todas as condicionantes do licenciamento do terminal portuário estão em execução, permitindo dessa forma a retomada das atividades. A paralisação do porto, desde abril do ano passado, trouxe graves prejuízos econômicos à região, impactando indústrias dos segmentos de alimentação e de petróleo e gás, principalmente. “Um porto público paralisado gera um dano enorme, porque ele não atende somente a cidade ou o município, mas toda a região. Há perda de emprego, renda e de recolhimento de tributos e impostos e, claro, existe o impacto direto para todos os seus usuários que tiveram que operar em outros…
De olho no desafio de minimizar os impactos ambientais de embarcações utilizadas na cadeia petrolífera, um membro do IEEE, maior organização profissional dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade, Mauricio Salles, participa da liderança de um projeto voltado à diminuição das emissões de CO2 em navios tipo PSV (Platform Supply Vessel). O projeto também avalia como se obter uma melhor eficiência energética nessas embarcações, que são usadas no apoio logístico e no transporte de mercadorias, equipamentos e pessoas para as plataformas de extração de petróleo e gás em alto-mar. O especialista ressalta que o transporte marítimo já representa impressionantes 2% das emissões globais de CO2. O projeto conduzido, contudo, comprovou que é possível obter até 8,7% na redução de emissões de CO2 quando os motores auxiliares a diesel já existentes nessas embarcações são aliados ao uso de baterias de íons de lítio. “Analisamos o potencial que a implementação…
Pagina 1 de 224